Jump to content

Atualmente, qual o melhor método de pagamento contra chargeback?


Mario Augusto
 Share

Recommended Posts

Olá, tudo bem?

Gostaria de saber qual o método de pagamento hoje em dia que fornece mais proteção ao vendedor em relação à fraude e chargebacks.

Já utilizei o PagSeguro há muito tempo e sempre que tinha algo, enviava as documentações e provas necessárias e nunca tivemos uma disputa sequer encerrado contra nossa empresa, já no PayPal que utilizamos hoje em dia, quase todas as disputas de chargeback são encerradas à (favor) do cliente, mesmo enviando todas as documentações necessárias.

Sei que neste caso quem analisa não é o PayPal e sim a bandeira do cartão e também a operadora do cartão de crédito. Mas acho muito engraçado que no PagSeguro seja resolvido de uma forma e no PayPal de outra. O que me parece é que o PagSeguro repassa as informações corretamente e o PayPal não, ou não fazem o mesmo esforço para tal.

O único problema é que o PagSeguro sempre deixou a desejar no suporte ao cliente, pois, só sabem fazer a venda da "Moderninha", tudo que está fora disso é muito ruim de resolver.

Vocês possuem alguma outra sugestão?

Atualmente uso o PayPal apenas para receber via cartão de crédito ou saldo PayPal, se for qualquer outro método de pagamento, será da mesma forma, pois, boleto bancário recebemos com o PagHiper.

Agradeço desde já!

Link to comment
Share on other sites

O melhor meio de pagamento contra chargeback é o boleto bancário...

... agora, se você quer aceitar cartão, pode usar um adquirente que permita exigir 3D-Secure (autenticação via banco emissor). Cielo é uma que permite, Braspag (que é da Cielo) também. Só não caia nas taxas incentivadas da Cielo... pague a taxa "baunilha" que te permite sair quando você quiser. 

 

Link to comment
Share on other sites

Não tem essa questão de melhor empresa no caso todas independente da empresa todas mesmo seguem essas mesmas medidas 

Algumas são mais exigentes como PAYPAL no meu caso eu criei um hook que mostra exatamente qual o ip de conexão do usuario os procedimentos feitos por ela na central do cliente o histórico de ips dele o provedor de internet, arquiva as conversas do chat junto nesse log  emails tudo .
Então quando tentam fazer Chargeback anexo tudo isso desde o primeiro até o ultimo momento que o cliente esteve na empresa incluindo seus dados de cadastro.

Tambem não aceito que o pagamento seja feito de um paypal diferente do cadastrado na central ou seja os dados tem de bater se não eu mesmo estorno .


O paypal é mais maleável ao passar do tempo pois você ganha uma reputação com eles e isso permite movimentar valores maiores  um exemplo recentemente fiz uma venda anual de 5 servidores no valor de R$20.000 fiz o parcelamento em 12x outras empresas nem aceitariam tal valor só pelo risco no meu caso constantemente passo valores acima de R$3, 5 mil e sempre contato o meu consultor de contas no paypal  que no caso conta PJ depois de um tempo pode pedir tal auxilio á um único consultor.

O caso é que você deverá sempre fazer uma triagem de seus clientes verificar se os dados de cadastro estão corretos, se os dados da forma de pagamento estão batendo com os do cadastro e arquivar tudo  para um possível Charge
Porem se for dentro de 7 dias que foi feito a compra ele vai estornar é direito dele de acordo com o CDC independente do que você vendeu para ele servidor / dominio .

Então por isso é sempre certo você fazer todo o processo de verificação e garantir sua parte.

vendo até se o ip dele é real ou é de outro lugar fora do brasil, e se desconfiar peça foto de um documento de identidade para verificar o cadastro.

São medidas que ajudam a prevenir tal problema e que dificilmente  um caloteiro vá querer passar por não via fornecer tudo certinho .

Link to comment
Share on other sites

1 hora atrás, Otavio disse:

Não tem essa questão de melhor empresa no caso todas independente da empresa todas mesmo seguem essas mesmas medidas 

Algumas são mais exigentes como Paypal no meu caso eu criei um hook que mostra exatamente qual o ip de conexão do usuario os procedimentos feitos por ela na central do cliente o histórico de ips dele o provedor de internet, arquiva as conversas do chat junto nesse log  emails tudo .
Então quando tentam fazer Chargeback anexo tudo isso desde o primeiro até o ultimo momento que o cliente esteve na empresa incluindo seus dados de cadastro.

Tambem não aceito que o pagamento seja feito de um Paypal diferente do cadastrado na central ou seja os dados tem de bater se não eu mesmo estorno .


O Paypal é mais maleável ao passar do tempo pois você ganha uma reputação com eles e isso permite movimentar valores maiores  um exemplo recentemente fiz uma venda anual de 5 servidores no valor de R$20.000 fiz o parcelamento em 12x outras empresas nem aceitariam tal valor só pelo risco no meu caso constantemente passo valores acima de R$3, 5 mil e sempre contato o meu consultor de contas no Paypal  que no caso conta PJ depois de um tempo pode pedir tal auxilio á um único consultor.

O caso é que você deverá sempre fazer uma triagem de seus clientes verificar se os dados de cadastro estão corretos, se os dados da forma de pagamento estão batendo com os do cadastro e arquivar tudo  para um possível Charge
Porem se for dentro de 7 dias que foi feito a compra ele vai estornar é direito dele de acordo com o CDC independente do que você vendeu para ele servidor / dominio .

Então por isso é sempre certo você fazer todo o processo de verificação e garantir sua parte.

vendo até se o ip dele é real ou é de outro lugar fora do brasil, e se desconfiar peça foto de um documento de identidade para verificar o cadastro.

São medidas que ajudam a prevenir tal problema e que dificilmente  um caloteiro vá querer passar por não via fornecer tudo certinho .

Se o certinho estornar via operadora já era... o paypal repassa para você o prejuízo e você terá que correr atrás diretamente do cliente.

Link to comment
Share on other sites

@edvan não é bem assim não tive 3 casos de estorno na operadora o paypal que arcou com tudo  entrei em toda a parte de confirmação de entrega e pelo que o consultor que me atende falou o paypal tem seguro contra isso.
Isso ocorreu pois os clientes esqueceram que o nome paypal na fatura era referente a meus serviços. 

Até presente momento não tive esse problema mais é que falo é bom sempre verificar, sempre que tenho um pedido de estorno aberto eu recebo uma ligação deles perguntando sobre o caso. 

Link to comment
Share on other sites

3 minutos atrás, Otavio disse:

@edvan não é bem assim não tive 3 casos de estorno na operadora o Paypal que arcou com tudo  entrei em toda a parte de confirmação de entrega e pelo que o consultor que me atende falou o Paypal tem seguro contra isso.
Isso ocorreu pois os clientes esqueceram que o nome Paypal na fatura era referente a meus serviços. 

Até presente momento não tive esse problema mais é que falo é bom sempre verificar, sempre que tenho um pedido de estorno aberto eu recebo uma ligação deles perguntando sobre o caso. 

Posso te assegurar que foi pura sorte, já fui vítima de um pilantra e conheço dezenas de casos iguais ao meu... o PayPal não assume chargeback, eu mesmo parei de usar e não tenho intenções em voltar.

Link to comment
Share on other sites

23 horas atrás, edvan disse:

Posso te assegurar que foi pura sorte, já fui vítima de um pilantra e conheço dezenas de casos iguais ao meu... o Paypal não assume chargeback, eu mesmo parei de usar e não tenho intenções em voltar.

Exatamente, segundo o PayPal, eles não realizam "proteção ao vendedor" para produtos "não tangíveis", ou seja, só protegem quem vende e entrega produtos físicos.

@Otavio Obrigado pelas dicas, atualmente eu tenho um modulo que verifica o e-mail do PayPal do cliente, se bate com o e-mail de cadastro, caso não bata, o pagamento fica retido internamente e é enviado um e-mail tanto para caixa de correio do cadastro como do utilizado na compra do PayPal, o cliente tem que entrar no e-mail utilizado pelo PayPal e clicar em um link de confirmação que foi enviado para ele, ai sim o pagamento é liberado, ou seja, significa que realmente ele é titular daquele e-mail. Fora também que uso modulo que verifica se o CPF é válido e compara com o nome digitado no cadastro, para evitar ao máximo cadastros falsos.

Mas... Mesmo assim quando um cliente abre chargeback, é batata, mesmo enviando um dossiê com as notas fiscais emitidas, IPs de acesso, confirmações de e-mail, etc. O PayPal nunca arca com o prejuízo, e a operadora do cartão sempre encerra à favor do cliente, logo em seguida, além do PayPal ter descontado já R$ 20,00 por transação de chargeback como taxa, ainda falam exatamente assim:

Citar

Olá, PAGLIA HOST BRASIL INFORMATICA LTDA - ME,

Como você sabe, estamos trabalhando em conjunto com o emissor do cartão de crédito do comprador para resolver um chargeback iniciado por ele.

Consulte os detalhes do caso abaixo:

  • ......

O resultado da disputa do chargeback foi em favor do comprador pois ele atendeu aos requisitos do emissor de cartão de crédito.

A partir de agora, sugerimos que você entre em contato diretamente com o comprador para tentar resolver o problema.

Agradecemos sua paciência.

Obrigado,

PayPal

 

Link to comment
Share on other sites

15 minutos atrás, Mário Augusto Paglia Jr. disse:

Exatamente, segundo o Paypal, eles não realizam "proteção ao vendedor" para produtos "não tangíveis", ou seja, só protegem quem vende e entrega produtos físicos.

@Otavio Obrigado pelas dicas, atualmente eu tenho um modulo que verifica o e-mail do Paypal do cliente, se bate com o e-mail de cadastro, caso não bata, o pagamento fica retido internamente e é enviado um e-mail tanto para caixa de correio do cadastro como do utilizado na compra do Paypal, o cliente tem que entrar no e-mail utilizado pelo Paypal e clicar em um link de confirmação que foi enviado para ele, ai sim o pagamento é liberado, ou seja, significa que realmente ele é titular daquele e-mail. Fora também que uso modulo que verifica se o CPF é válido e compara com o nome digitado no cadastro, para evitar ao máximo cadastros falsos.

Mas... Mesmo assim quando um cliente abre chargeback, é batata, mesmo enviando um dossiê com as notas fiscais emitidas, IPs de acesso, confirmações de e-mail, etc. O Paypal nunca arca com o prejuízo, e a operadora do cartão sempre encerra à favor do cliente, logo em seguida, além do Paypal ter descontado já R$ 20,00 por transação de chargeback como taxa, ainda falam exatamente assim:

 

Para mim isso não é novidade... na disputa o cliente sempre perde mas ao contestar você fica no prejuízo!

Link to comment
Share on other sites

28 minutos atrás, edvan disse:

Para mim isso não é novidade... na disputa o cliente sempre perde mas ao contestar você fica no prejuízo!

Exatamente! Disputas diretamente no PayPal, nunca perdemos, já com chargeback é sempre diferente. Por isso citei no primeiro post que o PagSeguro neste sentido, mesmo quando era diretamente com a operadora do cartão, faz uma proteção melhor ao vendedor.

Link to comment
Share on other sites

11 minutos atrás, Mário Augusto Paglia Jr. disse:

Exatamente! Disputas diretamente no Paypal, nunca perdemos, já com chargeback é sempre diferente. Por isso citei no primeiro post que o PagSeguro neste sentido, mesmo quando era diretamente com a operadora do cartão, faz uma proteção melhor ao vendedor.

PagSeguro, MoIP... PayPal não tem garantias!

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

 Share

  • Recently Browsing   0 members

    • No registered users viewing this page.
×
×
  • Create New...